CALÇADA É DO PEDESTRE COMO O CÉU É DO CONDOR

quarta-feira, 12 de maio de 2010

a

 - Kelps Lima (Ex-secretário Semob)


Quando compra um automóvel, o proprietário do novo veículo adquire junto com ele um acessório indispensável cuja falta de uso no dia-a-dia pode torna a vida do motorista – e do resto da cidade onde ele vive – um tormento: RESPONSABILIDADE.
.
Acredito que o trânsito da nossa cidade só poderá melhorar quando os motoristas se conscientizarem de que a palavra carro é sinônimo também de responsabilidade.

Ao conquistar o veículo novo, o dono do carro precisa agregar ao seu comportamento um senso redobrado de respeito e a convicção de que o conforto do carrão zero quilômetro não lhe dá uma licença especial para suprimir o direito das outras pessoas.
.
Faço essa introdução para entrar num assunto ao qual me dediquei com muita atenção quando fui secretário municipal de Mobilidade Urbana, o uso das calçadas por quem de direito: os pedestres.
É inconcebível que alguém tome a iniciativa de manobrar seu carro para estacioná-lo sobre uma calçada e pratique esse ato de forma serena, indiferente e até negligente, sem sentir um pingo de constrangimento em relação ao seu movimento.
.
E o pior, quando flagrado pela legislação de trânsito, o motorista infrator cria vários monstros para os quais transfere a culpa de sua própria ação: o fiscal, o prefeito da hora, os políticos de uma forma geral, o secretário de trânsito. Em sua cólera por não poder parar seu carrão onde lhe convém, todos são culpados e ele a vítima não compreendida.
.
No meu entender, e no entender da lei, calçada é lugar de pedestres, não de carros. De quem deve ser a prioridade nas calçadas? Das crianças, dos idosos, dos portadores de dificuldades locomotoras, do caminhante que se dirige ao trabalho? Ou dos carros zero quilômetro, com vidros espelhados, tração 4×4 e rodas enormes de liga leve?
.
Na Natal de hoje, que cresce a todo instante, não dá para fugir de uma lógica matemática: a quantidade de veículos aumenta nas ruas na velocidade da força do mercado automotivo – veloz como um foguete na capacidade de investimentos -  enquanto a velocidade dos gestores públicos (seja dos gestores atuais, dos que já passaram pela prefeitura, ou dos que virão, no futuro, a ocupá-la) não é, nem de perto, a mesma para conseguir recursos para aumentar a quantidade de ruas.
.
Para finalizar, deixo uma pergunta para que cada um encontre sua própria resposta. Qual a prioridade para os recursos públicos: saúde, educação e segurança, ou estacionamentos para quem, com boa renda e situação econômica confortável, compra carro novo?
.
--//--
.
A Bicicletada, por ser um movimento plural, composto por ciclo-cidadãos com diversos pontos de vista, mas que juntos buscam uma cidade mais saudável e um planeta sustentável, não necessariamete concorda com as opiniões do Secretário Municipal, por alguns crerem que não necessariamente este artigo seja coerente com a prática da Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal, que em sua história costuma muito veementemente dar prioridade aos carros ao invés de às pessoas. 
.
Em toda a gestão do Secretário, o plano de mobilidade de Natal praticamente não saiu do lugar, a expansão das ciclovias não aconteceu e o único projeto criado, o Pedal Livre, tem como objetivo apenas incentivar o uso da bicicleta como lazer e não como opção de transporte urbano. Após a gestão, é muito cômodo dar uma de consciente e 'verde'.

Lexfonte
Bicicletada Natal

2 comentários:

catarina disse...

Natal é uma cidade onde os cidadãos estão habituados com determinados gestos, então não interessa se estes hábitos estão corretos e nem ao menos param para refletir sobre eles, é uma "coisa" que se pratica há muito tempo, portanto é assim que deve ser, é um estado de costumes e dane-se o DIREITO.

O impedimento de ir e vir do pesdestre é negado em todos os bairros da cidade, não há em nenhum deles onde se vá e consiga caminhar em calçadas sempre tem ao menos um carro estacionado impedindo totalmente a passagem jogando o indivíduo para a avenida disputar com seu frágil corpo o espaço com os carros que trafegam isto é um absurdo tão grande, mas que nada é feito a esse respeto. Quando aparece um com essa idéia é logo taxado de incosequente.

Além de reclamar entre nós o que poderia ser feito de real a esse respeito, mobilizar o ministério público? Ou o que?.

Renato disse...

A gestão pública deve construir mais ruas? Ou oferecer alternativas de mobilidade dentro da cidade, como as bicicletas? Aniquilando ou pelo menos cortando esse ciclo vicioso da "carrocultura"? A lógica de " carros na rua mais pistas, menos pessoas" é excludente, claramente, fada ao insucesso. Natal reflete a ideologia do subdesenvolvimento, somos submundo porque permitimos a entrada de políticas externas conservadoras tal como predatórias, transferidas para nós que razoavelmente ainda temos muito de recursos naturais; mais aos interesses políticos perversos aqui já existentes, a luta é desigual. Vamos lá Bicicletada!!! Não somos Esparta, mas abrangemos esse espírito.

 

FACEBOOK

Quando acontece?

Quando: toda última sexta-feira do mês.
Onde: concentração no IFRN, Salgado Filho.
Horário: a partir das 19 horas e saída as 19:30hs.

O roteiro (suscetível a alterações a qualquer tempo) é definido no ato da concentração.

Qualquer um pode participar, não importa o sexo ou a bicicleta, não fazemos competição, não fazemos só um passeio, fazemos ciclopasseata, cicloativismo, paramos em sinais, abrimos faixas, cartazes, panfletamos, conversamos com motoristas e nos divertimos muito assim, promovendo a bicicleta na cidade.

Então, chame seus amigos e junte-se a nós!
Leve faixas, cartazes, placas, personalize sua bike, ou seja, use sua criatividade para transmitir à cidade nossos ideias.
A participação é livre e gratuita, venham para somar.

É desejável o uso de equipamentos de segurança como capacete e luzes sinalizadoras.

Menores de idade somente acompanhado de um responsável.

Pense a respeito

"Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente". - Krishnamurti

"Nunca duvide que um pequeno grupo de pessoas motivadas e comprometidas possa mudar o mundo" - Margaret Mead

"Posso não conseguir mudar o mundo, mas vou me divertir tentando" - Anônimo

"Precisamos em Natal na verdade, é de Mobilidade Humana" - Milena Trigueiro

"Bicicletada Natal, não é um grupo de passeio, é um estado de espírito" - Clebson Melo

Sem Ciclos

Sem Ciclos
É um blog desenvolvido pela Bicicletada Natal/RN para catalogar os acidentes envolvendo ciclistas no estado. Tem por objetivo argumentar a necessidade da estrutura e da segurança para os ciclistas, de forma que entada-se que o uso da bicicleta está além da diversão e lazer e que para tanto, necessita de políticas que enxerguem a necessidade de trabalhar esse modal em todos os seus aspectos. Sabe de alguma ocorrência de acidente com ciclista? Informe-nos aqui.